Background Image

PERSONAGENS

1º Quebra Cabeça Artesanal da Cultura Popular Pernambucana.

Cavalo Marinho: Folguedo (festa popular) típico da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco e também do agreste do Estado da Paraíba, que reúne personagens humanos, animais e fantásticos que apresentam música, teatro, dança e poesia.
EM BREVE. OUTRAS OPÇÕES

Capitão Marinho: O Capitão Marinho, ou simplesmente Capitão, é o personagem que comanda o espetáculo oferecendo um baile aos Santos Reis do Oriente.

Bastião e Mateus:

São dois amigos negros contratados pelo Capitão para tomar conta do terreiro. Entretanto, em vez de tomarem conta, os dois passam a se dizer donos do lugar, provocando a maior confusão. São personagens cômicos que dividem a paixão pela mesma mulher, Catirina.

 

Catirina: É uma personagem negra contratada pelo Capitão Marinho para tomar conta do terreiro com Mateus e Bastião. Grávida, Catirina sentiu desejo de comer língua de boi...seu desejo foi realizado após a morte do boi.

 

Boi: É o personagem protagonista da festa. Elemento constante no cotidiano do homem do campo, o boi surge na terceira parte da encenação sendo morto por Mateus e Bastião e depois ressuscitado após o seu funeral. O boi com sua dança apresenta qualidades fantásticas! É um boi mágico do qual tudo se aproveita e nem o berro escapa.

 

Jaraguá: “Chegou, chegou, chegou meu Jaraguá! Meu bichim é bonitinho, também sabe vadiar.” O Jaraguá é metade homem e metade jacaré. Junto com a Ema, não dão sossego à fazenda.

 

Ema: A Ema é uma grande ave que usa suas asas não para voar, mas, para se equilibrar e mudar de direção enquanto corre. Ela é amiga do Jaraguá e passa o dia a atormentar o terreiro do Capitão Marinho.

 

Caapora: Lá vem a Caapora Pigmeu com seu tamanho de Zé Pequeno, com sua cabeça do tamanho de uma peneira, com seus olhos arregalados e com seus grandes braços que tocam os pés a correr atrás das crianças para brincar.

 

O Morto-Carregando-o-vivo: Nos folguedos populares é uma figura fascinante e aterradora. É uma mistura de gente e boneco da qual não se sabe ao certo quem está carregando quem.

 

Burra: “Ô burra nova que vem ver? O que vem ver? O que vem ver? Dançar na roda pro povo ver.” A burrinha é do Capitão e o ajuda a acompanhar eu boi de estimação.

 

Violeiro: Lá vem o mestre violeiro com seu improviso de repente, tirando versos pro boi e o capitão a clamar de modo bom e sincero das aventuras desse bravo doutor, dos humanos, animais e fantásticos que habitam a sua fazenda.

 

Homem da Meia Noite: É um personagem místico que tem um sorriso de dente de ouro, usa terno verde e branco, gravata borboleta e uma cartola. Carrega no braço o eu relógio que marca o horário da meia-noite.

 

Tocador de Clarim: O clarim é um instrumento de sopro utilizado nas orquestras de frevo. São os clarins quem anunciam a abertura do carnaval no Sábado de Zé Pereira chamando o povo para frevar.

 

Passistas: O frevo é um ritmo e uma dança com origem em Pernambuco. o frevo com sua magia e passos com equilíbrio da sombrinha faz o passista voar com toda a beleza que há.

 

Tocador de Alfaia: A alfaia é o principal instrumento dos batuqueiros dos maracatus. É um instrumento de percussão fabricado artesanalmente a partir do tronco de árvores.

 

Tocador de Atabaque: É um instrumento de percussão muito utilizado nos afoxés e também nas rodas de capoeira.

Tocador de Berimbau: É o principal instrumento da capoeira. A partir dele, faz-se a marcação do ritmo dos capoeiristas que estão na roda. É feito artesanalmente utilizando-se da madeira de uma árvore chamada Embiriba, o que dá origem ao nome do instrumento.

 

Capoeiristas: A capoeira surgiu com os negros africanos sequestrados para o Brasil, sobretudo para o Recife e Salvador, onde a capoeira de fato foi difundida. A capoeira segue basicamente duas correntes: A capoeira de Angola, mais antiga e tradicional; e a capoeira regional, surgida posteriormente.

 

Caboclo de Lança: É uma figura folclórica presente nas manifestações culturais de Pernambuco. É um dos símbolos da cultura pernambucana e tem sua origem na mistura de culturas afro-indígenas com outras manifestações populares como o Cavalo-marinho e o Bumba-meu-boi.

 

Caboclinho: São originários da Zona da Mata Norte de Pernambuco. São representantes dos diversos povos indígenas como os Tupy, Tupinambás, Tapuias, Tabajaras, Canindé etc. Com suas vestimentas com penachos, cocares, e outros adornos, saúdam aos seus ancestrais com suas belas danças e melodias.

 

Porta Estandarte: É a pessoa encarregada da grande missão de levar a bandeira que representa sua agremiação, sua nação. É uma grande honraria ser designado para essa função pois no momento do desfile o Porta Estandarte carrega o nome da agremiação sob sua responsabilidade.